segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Transformar


Sempre que descrevo meu pai, acompanho com uma historia bem ilustrativa da sua maneira peculiar de ver a vida.
Quando a pessoa morre, acho que depois de 03 anos, o cemitério te avisa que vc deve ir retirar as cinzas da pessoa. Não sei bem como se chama isso, exumação, eu acho......., enfim, uma coisa meio mórbida, eles desenterram e colocam tudo que restou de você num saco tipo zip lock.
Eu não sabia disso, aliás tem muita coisa na vida que a gente só sabe quando acontece com a gente, antes ninguém explica mesmo;
Enfim, meu pai, pegou a missão de ir até o São João Batista retirar as cinzas de mi madre;
A noite ele chegouna minha casa com o tal zip lock com as cinzas para me entregar.
E ai... ele me conta o seu dia : " - Passei o dia inteiro com sua mãe, passeando com ela, fomos em todos os lugares que ela mais gostava, passeamos por Santa Teresa, pela Urca, andamos de bonde, vimos o por do sol......e finalizamos tomando uma agua de coco no Mirante do Leblon;
.....Esse era meu pai, um artista, um alquimista capaz de transformar uma tarefa que poderia ser apenas mórbida, penosa e dolorosa em poesia;
Busco carregar essa sabedoria comigo de transformar momentos ruins em bons, de ver beleza nos dias cinzas; de tornar o difícil e chato em agradável.
Isso é ser criatrivo na vida, isso é saber viver;

4 comentários:

aingles disse...

July,

Simplesmente lindo. Apreendi.

Vc tb é ídala!!!

Bjo,
Alain

Flavia disse...

Acho que vc. herdou isso do seu pai July. A arte de saber viver ! Adorei ! bjs
Fla

Selma disse...

Sobrinha linda,
Acabo de ter uma visão nova do meu irmão, vou passar para os meus filhos
essa sabedoria, Te amo Selma

re leve disse...

que lindo, ju.... pra variar, me fex chorar. lembrando que chorar é tão importante quanto sorrir :)
obrigada! beijos com amor