domingo, 26 de outubro de 2008

ROTINA

Todo domingo, la pelas 17h ela vem devagarinho......uma mini-depressão de domingo....

Em anos, idades, fases , em empregos e momentos de vida diferentes, muda tudo, menos a tal da mini -depressão domingueira; que mesmo com todos os mil cursos, terapias, analistas, livros..., todo meu conhecimento adquirido... mesmo cheia de ferramentas para me defender, mesmo assim ela vem.

Ai , paro e penso: tá ok ela veio, bem vinda, mas por que mesmo ??

MAS POR QUE MESMO ?? Quem convidou ???

Lembro uma vez, em que eu estava sozinha viajando e na véspera de voltar para o Brasil, começou a mini -depressão pré volta...aproveitei para mergulhar nela e tentar buscar a causa. Tenho essa mania de mergulhar nos assuntos, muitas vezes acho que eu poderia ser mais simplesinha e feliz assistindo Domingão do Faustão e pronto.

Mas enfim, lá na viagem , pensei, :"estou aqui sozinha,num pais que não e meu, num lugar em que não conheço ninguém, não falo a língua , não tenho amigos, nada; e mesmo assim não quero voltar pro meu lugar com meus amigos todos que amo ? Porque ?

Lá de longe , de fora, eu pude enxergar : eu estava com saudades sim dos meus amigos,da praia, do calor, da minha casa; o que eu não estava com saudades era da minha rotina;

Rotina - aquela que eu mesma criei - eu mesma inventei, agendei, enchi de coisas....

Sim porque fora o trabalho de tal a tal hora de segunda a sexta, tem todo o resto que a gente mesmo vai botando, completando a agendinha;

O que eu não queria na verdade era a quantidade de compromissos com hora marcada , precisava de espaço para o vazio para entrar o novo;

Entendo que rotina, disciplina, um pouco de ordem, o mínimo de organização são necessários.... mas é preciso também bagunçar, alterar o roteiro;mudar o caminho ;

Achava que só quem sofria isso era quem trabalhava no mundo corporativo, com regras, horário de entrada e saída, marcando presença no escritório. Mas nas minhas pesquisas antropológicas descobri que os profissionais liberais com trabalhos totalmente alternativos, sem horário fixo , que decidem a cada dia como vai ser , eles também, tem essa angustia;
Só que a deles é diferente, a deles é a do excesso de liberdade que as vezes confunde , dá um vazio, uma falta de ordem;
Uma amiga estilista comentou que as vezes a neura dela é saber que pode acordar na segunda a hora que quiser e se quiser nem trabalhar naquele dia; A neura é ter que decidir o que fazer, sempre como vai ser; Excesso de domínio dos horários;
E que quando ela pega um trabalho por fora em empresas onde tem que cumprir horários, ela acorda na 2a feira feliz da vida porque sabe onde tem que ir, o que tem que fazer, não depende dela.

O excesso de liberdade também pode nos prender; ficamos presos as nossas neuras, as nossas provações diárias , a nossa imagem e criação de ser responsável, aos nossos paradigmas, de não sentir culpa caso decida não trabalhar na 2a feira...
Deixar todas as decisões em suas mãos talvez te limite as suas culpas;



3 comentários:

Jô (a Hallack) disse...

Oi cats!
Já está favoritado
beijos!

Ana Cunha disse...

menina, tá aí mais uma qualidade sua - da enorme lista de qualidades - a de traduzir em palavras sentimentos tao bacanas e, algumas vezes, universais!
Parabéns, tô adorando ler!
Beijo, Ana e Tomás

marta disse...

Ninguém é feliz assistindo Faustão.